Just another Brazilian Student in Ireland

Posts com tag “Transporte

Escócia – Part I – Glasgow

Olá pessoal leitor do vidalemdublin! Como estão vocês? Espero que bem ! Pois bem deixei o blog sem atualizar por alguns dias por um bom motivo, não não ainda não é emprego, mas sim pela viagem que eu e a Ivana fizemos à Escócia. Decidi por dividir em duas ou mais partes para que não fique uma leitura cansativa e também para eu poder organizar minha idéias.

Então nesse último domingo dia 5 e segunda dia 6 de junho, estivemos na Escócia visitando as cidades de Glasgow e Edimburgo, já esperávamos muito de Edimburgo principalmente, e realmente é inexplicável, e Glasgow não ficou atrás. Vale muito à pena, queria que todos vocês tivessem a mesma oportunidade que tive.

Desde maio passado já haviamos comprado as passagens para Glasgow-Prestwick na Escócia pela Ryaiair, que é uma companhia aérea irlandesa que opera vôos de baixo custo ( LEIA-SE BARATO PRA CHUCHU)  entre várias cidades européias. Quando eu digo barato, é porque você paga 10 euros por destino, ida e volta 20 euros,  por pessoa ! Mas nem tudo é perfeito, normalmente a Ryanair te deixa em aeroportos mais afastados das principais cidade, mas nada que estrague o seu passeio. Sinceramente não sei como eles conseguem manter os custos operacionais e ainda obter lucro, mas se eles conseguem, tá aí o exemplo. Tudo bem que o check-in é feito online, bagagem somente de mão e nada de serviço de bordo. Qualquer solicitação extra é cobrado. Os comissários de bordo passam a todo momento no vôo oferecendo desde água, café, cigarro, produtos de beleza e bilhete da loteria, mas pelo preço vale a pena e o importante é chegar são e salvo, não é mesmo?

Outra coisa que fizemos e que recomendamos é deixar reservado algum hostel/hotel para que a “preocupação” seja apenas apreciar o passeio, os pontos turísticos e a beleza do lugar. Nós optamos pelo Caledonian Backpackers, sugerido por amigos que já se hospedaram e não nos arrependemos. Mas depois eu comento um pouco mais sobre isso, afinal foi em Edimburgo.

A viagem:  Glasgow fica a menos de 400 km de Dublin então o vôo é bem rápido, sinceramente acho que gasta-se mais tempo com carimbo em passaporte, checagem de bagagens e embarque de passageiros do que com o vôo em si, rs ! Brincadeiras à parte, ou não, chegamos à Escócia pelo aeroporto Internacional de Glasgow, que apesar do nome Internacional, é pequeno e fica a 51 km de Glasgow, como eu disse, Nem tudo é perfeito. Mas o aeroporto é servido por trens e ônibus e para nossa alegria com o ticket do avião a gente pagou só meia passagem para ir até Glasgow, então ficou 7.50 pounds para nós dois. Viajar de trem é muito bom, uma pena que no Brasil não houve investimento na continuidade da malha ferroviária.

Aeroporto de Prestwick

Scottish Rail - Trem escôces

Estação de trem no interior da Escócia - Troon

Bilhete de trem

Chegamos na estação Glasgow Central, e logo que saímos de lá já nos deparamos com a arquitetura indescritível da estação ferroviária que foi fundada em 1879 e é a segunda mais movimentada perdendo apenas pra Londres. Fonte: wikipedia.

Ivana na estação de trem Glasgow Central

Estação de trem em Glasgow

Ivana em frente a estação Glasgow Central

Ficamos logo abobados com os prédios, sempre muito detalhados, alguns mais recentes outros mais antigos mas de alguma forma todos parecendo ter alguma história por contar. Reis, rainhas, batalhas, guerras, conquistas ou talvez apenas mais uma obra ,ahn, acho que não! Depois de alguns passos sem rumo encontramos um mapa(placa) e logo definimos alguns lugares a conhecer. Fomos em direção a George Square, em homenagem à George III e palco de shows, eventos, manifestações, paradas, encontros políticos e celebrações.

Arquitetura dos prédios em Glasgow

Arquitetura dos prédios em Glasgow

Após mais algumas fotos fomos abordados por um dos guias turísticos do Glasgow City Tour, um ônibus que double-decker( dois andares ) que leva os turistas aos pontos turísticos mais visitados da cidade com um guia contando um pouco de cada lugar. Como não tinhamos noção de quais lugares visitar e pelo fato de querermos ter uma idéia da cidade optamos por pegar este ônibus. São 9 libras por cabeça e você tem direito a pegar o ônibus quantas vezes quiser, o ticket é válido por 4 dias, mas sinceramente se eu tivesse ido para ficar 4 dias com certeza não teria feito esta opção. Os principais pontos turísticos de Glasgow ficam em um raio de 20-25 minutos andando, com exceção da zona leste da cidade que talvez demore um pouco mais. Enfim, pode ou não valer a pena dependendo do tempo que você possui, grana, vontade, etc.

George Square - Glasgow

Glasgow City Tour Bus ( No ônibus turístico)

Uma vez no ônibus aproveitamos para tirar mais algumas fotos e contemplar a beleza do local, passamos pelo Gallery of Modern Art( Galeria de arte moderna) , Glasgow Cathedral, St Mungo Museum of Religious Life and Art( St Mungo Museu de Arte e Vida Religiosa), Glasgow Necropolis ( Cidade dos Mortos), Merchant Square, Glasgow Science Centre, Clyde Arc ( uma ponte na forma de um arco que passa sobre o rio  Clyde), Scottish Exhibition and Conference Centre ( parecido com o Opera House de Sydney – Australia, só não diga isso para um australiano), Riverside Museum, Botanic Gardens( Jardim Botânico), KelvingGrove Art Gallery & Museum outras ruas com prédios da arquitetura local que em sua maioria é estilo victorian, o que vocês vão notar nas fotos que seguem abaixo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O famoso prato escôces "haggis" acompanhados de neeps and tatties

Depois do tour pela cidade, era hora de comer alguma coisa e já era por volta de 2 horas da tarde e o nosso estômago já estava roncando, sendo assim, uma vez na Escócia se faz necessário provar o prato típico que é chamado “haggis”  e consiste das víscera da ovelha, entre outros, coração, pulmão, figado todos muito bem cozidos e temperados com cebola,pimenta, sal, banha, suco de limão e grãos de aveia tostado, dentro do estômago da própria ovelha.Depois faz pequenas os grandes bolas de “haggis” e serve-se frito( acredito eu ), pois como vocês vão repara logo abaixo tem a aparência de um hamburguer. O “haggis” é servido com nipps and tatties(escôces para nabo e batata ), basicamente um purê. A Ivana por sua vez foi mais prudente e optou por macarrão com queijo e tomate que acompanha um pão de alho delicioso por sinal. O prato em si não é ruim, mas também não é algo que eu comeria com deleite. Mas por se tratar de uma ocasião especial, vale à pena. Pra beber pedi uma cerveja Ales e a Ivana pegou o típico refrigerante escocês “Irn Bru”, que pode ser descrita como muito doce e com gosto de tutti-frutti. O mais interessante é que a Escócia é o único ou um dos únicos países em que a coca-cola não é a bebida mais vendida( não alcóolica é claro ), Irn Bru está em primeiro lugar no gosto dos escoceses.

Ivana tomando sua "Irn Bru"

Yay!

Bom pessoal essa foi a primeira parte da nossa aventura por terras escocesas, amanha serei mais breve e colocarei mais fotos com o restante do nosso passeio por Glasgow. Espero que gostem, e comentem também ! Abraços a todos e até a próxima.

Anúncios

1º Mês de Irlanda

Bom dia pessoal, tudo bem com vocês? Pois então, ontem dia 5 de maio completou um mês desde que cheguei na tão famosa Irlanda ! Como o tempo passa rápido não? Acho que já posso fazer um balanço sobre como é a vida aqui na ilha esmeralda, assim chamada pelos inúmeros brasileiros que aqui residem. Então vamos lá:

Comida – bom, até que está sendo melhor do que eu pensava, eu e a Ivana nos alimentamos bem, comemos arroz, carne, ovos, cenoura, batata, alface, tomate, bastante pão, geléia , tudo normal. Claro que não há aquela fartura de carne como estavamos acostumado no rio grande do sul e também o feijão nosso de cada dia faz falta. A tão famosa batata é realmente muito mais consumida aqui do que no Brasil. O que pude perceber é que aqui você encontra de tudo enlatado, e, ou a comida é sem gosto ou é hiper-temperada, mas vasculhando as prateleiras do supermercado, você vai se adaptando. Até comemos com a mão outro dia ! Moramos com um trio de zimbabuanos, e eles normalmente comem com a mão ! Não sei se é sempre, mas na maioria das vezes. Batatas Pringles, yogurt, pão fatiado, presunto,  são realmente bem mais barato. Aqui a bebida alcóolica é vendida nos supermercados em um local à parte, como se fosse um outro comércio e pelo que pude perceber somente até as 10 da noite ou até o mercado fechar ( por exemplo , nos feriados normalmente fecha mais cedo ). Comer fora é algo que fazemos com menos frequência, mas por exemplo um big mac com batata frita e coca-cola 500 ml custa 6 euros, uma pint ( um copo de 500 ml) de cerveja varia entre 2 e 5,50 euros e por aí vai. Em média acho que gastamos 30-50 euros por semana com alimentação.

Transporte :  após um mês de irlanda, posso dizer apenas sobre os ônibus de Dublin que pego todos os dias para ir pra escola, Bray-Dublin, que pode levar de 45 minutos até 1h15,  os ônibus aqui tem uma caixa metálica no qual vc deposita as moedas e diz o local onde quer descer, as taxas são divididas em regiões , ou seja, quanto mais longe mais caro, obviamente ! Eu e a Ivana usamos um cartão de 30 dias que custa 78 euros , você anda quantas vezes quiser em um mesmo dia e é descontado apenas um dia do seu cartão, vc não precisa usar o cartão todo dia então pode ser que ele dure mais de um mês, considerando que não vou para escola sexta, sabado e domingo.

Aqui os ônibus também quebram frequentemente, como aconteceu comigo ontem, tive que trocar de ônibus e cheguei atrasado na escola, eles passam antes do horário ou depois, não há muito controle, às vezes passam 2 ônibus de uma vez. Então nesse aspecto não podemos nos queixar muito do Brasil. Os carros respeitam muito os ciclistas, semáforos e pedestres, até agora não vi nenhum acidente ! Ainda bem né !?

Lazer :  bom, lazer é algo relativo e cada um o faz de sua maneira, eu por enquanto estou desempregado e me privo de muitas coisas como , a querida cerveja, bilhar, boliche, mas em contrapartida o dinheiro que eu gastaria indo em pubs, aproveito para ir conhecer novos lugares , como por exemplo os parques já mostrei aqui e aqui , também há os aniversários, jantas que aproveitamos para fazer algo especial e darmos risada, trocar idéias e falar português também! por que não? Estando longe de casa, os brasileiros que aqui estão acabam tornando-se nossa família ! A propósito mês que vem iremos para Escócia e visitaremos Glasgow e Edimburgo, ok eu disse que tava desempregado, mas a ivana tá trabalhando ok? Não é grandes coisas, mas paga o aluguel, comida e transporte e 1x por mês dá pra se dar ao luxo de viajar visto que uma passagem de avião ida e volta custa 20 euros.

Os irlandeses :  pouco posso dizer sobre eles, pois tenho tido pouco contato com irlandeses, meu primeiro prof. foi um irlandês chamado Louis, sotaque forte mais conseguia entende-lo sem grandes dificuldades, convivo com os meus housemates que são do Zimbabwe, também tem a colega de trabalho da Ivana que é finlandesa, minha nova prof. é polonesa, então é uma grande salada mista, mas o povo irlandês pelo que puder perceber é mais fechado, são educados em sua maioria, há também os “knackers” que perseguem os estrangeiros, sem razão ou motivo, xingam, batem, roubam e ainda são sustentados pelo governo.

Dublin-Bray : estas são as cidades em que vivo e estudo, não necessariamente nessa ordem, bray é como se fosse uma extensão de dublin, muitas pessoas estudam, trabalham em dublin e moram em bray, é mais calma e também possui uma bela praia que é o local que todos vão quando o solzinho resolve aparecer. Dublin é uma cidade movimentada, como qualquer cidade grande, trânsito complicado, grande circulação de pessoas, há mendigos, há sujeira nas ruas, nas calçadas, mas nada comparado com as grandes cidades brasileiras, você anda tranquilamente e até agora não vi nada que me deixasse assustado ou inseguro. Talvez porque não andei a noite sozinho ou não foi nos locais mais “suspeitos” ou talvez porque seja mais seguro mesmo. Cedo para dizer.

Bom acho que esse post está ficando grande demais e cansativo para leitura, mas espero que tenha dado uma idéia de como tem sido o dia-a-dia por aqui, que aliás, com o passar do tempo vai tornar-se mais “rotina” e cada vez mais vou me acostumar com as pessoas esbarrando em mim e dizendo “sorry”, os carros do lado contrário em relação ao nosso, passar minhas compras e pagar sem ter um caixa no supermercado, jogar o papel higiênico na privada, “push” é empurre e “pull” é puxe e por aí vai…

Se você chegou até aqui , então clica ali no botão de comentar e deixe sua sugestão, reclamação, mensagem que ficarei muito feliz em respondê-lo(a). Abraços a todos ! Até a próxima.


Primeiras Impressões

Cá estou novamente para atualizar o blog e tentar deixa-los à par do que se ocorre por aqui ! Amanha dia 12 completará uma semana que estou na Irlanda e desde então acho que já posso dizer alguma coisa sobre à cidade e sobre o que estou achando dessa experiência também, claro que outras pessoas que estiverem por aqui podem divergir do meu modo de pensar e isto é completamente normal, vou escrever aquilo que observei e que talvez possa mudar depois de 1 mês, 1 ano, 1 século…

Começando pelo transporte público que utilizo quase que diariamente, os ônibus aqui são de 2 andares e cabem 70 e poucas pessoas mais um espaço para cadeirante ou mãe que esteja com bebê. Outro dia até ocorreu um fato inusitado, pois uma mãe estava amamentando e deixou o carrinho de bebê dela no local reservado para isso, chegou outra mãe com seu bebê e o motorista exigiu que ela movesse o carrinho dela de modo que coubessem os dois, ela ficou muito irritada porque estava amamentando, ela disse: “Oh Jaysus I am feeding the baby” ( como se fosse : Oh céus eu estou dando de mamar). Normalmente o pessoal sempre diz “thank you” ao descer do ônibus e assim como no Brasil os horários são reduzidos nos finais de semana. Acho que só aceitam moedas e caso vc pague a mais o motorista emite um papel-vale pra ser trocado no escritório da empresa, o bom é guardar vários e quando for necessário trocá-los. 

Na Irlanda dirige-se do outro lado da rua, diferentemente do Brasil e o volante é do lado direito. Dublin é muito bem servida por faixas exclusivas para bicicletas e não possuem quase motocicletas, e quando você vê alguma são motos grandes.

Há também dois outros meios de transportes no qual eu ainda não utilizei, o DART que é o nosso popular trem, e o Luas que é parecido com um bonde e liga algumas regiões de Dublin ao centro da cidade.
Neste último final de semana estivemos em Bray, uma cidade próxima de Dublin, aprox. 40 minutos de ônibus e eu aproveitei para tirar uma foto do valor desse carro, ano 2002, qual seria o valor de um carro desse no Brasil?

Aproveitei também para fazer um vídeo de dentro do ônibus para mostrar a visão que nós temos e também um pouco da paisagem, carros, etc.

 

 

Bom acho que pra esse post está bom ! Continuem acompanhando e comentem e sugiram posts para que eu possa me informar! Abraços à todos do Brasil, família, Santa Cruz do Sul, Salto e todos os outros amigos que tenho espalhado por esse Brasil .