Just another Brazilian Student in Ireland

Posts com tag “Royal Mile

Escócia – Part IV – Edimburgo

Boa tarde, folks! Como vocês estão? Aqui na Irlanda o tempo tem contribuído nestes últimos dias e o sol apareceu, dias bem agradáveis com máximas em torno de 20 graus, é vocês devem estar achando que sou louco, mas não, isso é bem agradável e bem quente em se tratando de Irlanda, ainda mais quando não se tem o famoso e chato vento.Mas chega de blá blá blá e vamos ao que interessa.

Quem tem lido o blog com frequência sabe que estivemos na Escócia há mais ou menos uns 10 dias atrás e eu dividi ela em alguns capítulos para deixa-los a par de todos os detalhes, mas caso não tenha lido pode fazê-lo clicando em Part I, Part II, Part III . Esta será a última parte da nossa saga ( ufa né? ) e espero que tenha apreciado a leitura.

Então, após nos reunirmos com o Free Walking Tour, cujo o site vocês podem conferir em http://www.neweuropetours.eu/ , fomos apresentado ao guia cujo o nome é Troy, cuja a foto você pode conferir em http://www.newedinburghtours.com/our-guides.html , começamos a seguir caminho pela Royal Mile ( que tem esse nome por ter uma milha entre o castelo e o parlamento) .  Como não me lembro de TODAS as coisas que ele disse vou colocar as que achei mais interessante e assim segue abaixo:

Esse coração que está no chão é alvo dos torcedores do Hibernian e do Hearts os dois times mais populares de Edimburgo, pois os torcedores do Hibernian quando passam por este coração cospem porque o coração é o simbolo do Hearts e os torcedores do Hearts quando passam pelo mesmo também cospem porque acham que traz sorte. Também é usado como modo de descobrir turista, pois os escoceses cientes das cusparadas desviam do coração, já os turistas… mas o bem da verdade é que o cuspe é um velho hábito para demonstrar insatisfação com as autoridades

Mercat Cross – originalmente o local onde o comércio era realizado e também o local onde os mercadores se reuniam.Mais tarde tornou-se o local para execuções, proclamações e anúncios.Ainda hoje em Edimburgo é o local onde se convoca eleições e o anuncio de novos monarcas.O nosso guia contou uma história de uma menina que passava por este local e com fome decidiu roubar uma maça e saiu correndo, como nada acontecera, no dia seguinte repetiu o ato mas foi capturada pelo dono de uma mercearia, este arrastou-a pela orelha e pregou sua orelha no local da foto. A ela restava duas opções, resistir por 24 horas e ser alvo de chutes, cuspes e pancadas de todos, pois aquele que ali fosse colocado o motivo era furto, para pagar pelo seu ato, ou a outra opção seria rasgar sua orelha e se desvencilhar e ser conhecido como covarde, para aqueles que faziam isso só restavam uma opção, piratas para os homens e prostitutas para as mulheres.

Agora vocês devem estar me questionando o porque de uma foto de uma parede mal rebocadas, calma, vou explicar! Um fato muito interessante é que nos prédios mais antigos de Edimburgo as escadarias tinha um degrau menor que os demais, como pode ser observado entre os degraus 3 e 4  de modo a pegar possíveis ” visitantes indesejados” que ao andar na ponta dos pés no escuro estariam fadados a queda e é claro que provavelmente a queda da escada não seria o único prejuízo para os “espertinhos”.

Outro fato muito interessante é que ao contrário do que acontece hoje em dia em que os mais “pobres” ou os apartamentos mais baratos são aqueles que ficam nos primeiros andares e os últimos andares são os mais caros e onde moram os ricos, talvez não no Brasil e talvez nunca tenha sido, mas na Escócia de antigamente os prédios não tinha saída de incêndio e portanto quem ficava com os primeiros andares dos prédios era sempre a nobreza pois poderiam pular a janela e saírem vivos, mas a classe menos favorecida da sociedade que tinha de viver nos andares mais altos talvez não teria tanta sorte.

Esse prédio de esquina que na parte de baixo possui um café é o local onde J.K. Rowling costumava vir para tomar seu café e escreve o tão famoso livro mundialmente conhecido Harry Potter. Como ela passava por um período complicado financeiramente ela costumava vir a este café para além de tomar café, escrever no calor dos aquecedores e assim economizar não tendo que ligar os de sua casa.

Ao fundo essa escola que mais parece um castelo, segundo o nosso guia é onde foram gravadas as cenas da famosa escola de Hogwarts, para aqueles que assistem Harry Potter logo vão identificar, já eu que não sou grande fã apenas admiro a grandiosidade da tal escola !! Imagino eu o preço para estudar em tal escola…

Neste cemitério surgiram alguns nomes ou sobrenomes  que inspiraram a autora do livro Harry Potter em suas história, um exemplo é MacGonagal( não tenho certeza quanto a grafia do nome) , que apesar de ser uma senhora na história é o sobrenome de um homem. Também consta que neste cemitério está enterrado Lord Voldemort, mas não consegui encontrar sua lápide, quem sabe em uma próxima oportunidade.

Para terminar com esta história de cemitério, por fim mais essas duas fotos, a primeira é um tanto quanto inusitada, pois eu particularmente nunca tinha visto um túmulo trancafiado, mas o motivo deve-se aos famosos assassinos em série William Burke e William Hare que fizeram mais de 17 vítimas com o propósito de vender os corpos para Doctor Robert Knox, professor de anatomia da Faculdade Médica de Edimburgo, que necessitava de corpos para dissecação em suas aulas. Por volta de 1832 era muito dificil encontrar cadaveres legitimamente disponíveis para serem usados no estudo de anatomia, foi então que surgiram ladrões de corpos em túmulos no cemitério e eis o motivo das grades. Já a segunda foto trata-se do mausoléu de Sir George Mackenzie, enterrado em 1691, ‘Mackenzie Poltergeist’, o qual se encontra fechado após diversas pessoas terem se queixado de escoriações, cortes, mordidas e sensações estranhas vindas do local. Acreditem ou não vale a pena uma visita ao cemitério de edimburgo – Greyfriars.

Esse simpático cãozinho da raça Skye Terrier ficou famoso em Edimburgo após ter ficado 14 anos ao lado do túmulo de seu dono, até a sua morte.Reza a lenda que Bobby e seu dono( guarda noturno para a polícia de Edimburgo )  foram  inseraparáveis por 2 anos até que o mesmo morreu de tuberculose.Bobby então passou o resto de sua vida vigiando o túmulo de seu falecido dono. Há um túmulo em sua homenagem ondem muitos deixam flores, lembranças, cartões e uma estátua do lado de fora e também pelo que pude notar um Pub com o nome de Bobby.  A maior lição mesmo acho que é de lealdade, não é mesmo?

Não me lembro se já comentei no post passado, mas as libras( papel moeda) divergem na escócia e na inglaterra, pois cada banco pode emitir a nota à sua maneira, então Banco da Escócia tem um tipo de nota de 10, 20, 50.. os bancos ingleses outro, então é possível encontrar 2,3, 4 tipo de nota para o mesmo valor, no começo é difícil acostumar-se.

Tendo em vista que outras histórias foram citadas durante a Tour e que não vou conseguir me recordar, acredito que trouxe à tona aqueles que achei mais interessante, mas Edimburgo é uma cidade cheia de história e não é uma simples Tour de 3 horas que será suficiente para contar/ver/observar tudo obviamente. Então para quem pretende visita-la, reserve pelo menos uns 2 dias !

Após a tour decidimos bater perna novamente e não muito longe dali nos dirigimos a Calton Hill que fica à leste da New Town ( parte da cidade conhecida como nova) , um local muito bonito e a sede do governo escoces.Pra finalizar segue abaixo fotos do local.

Este slideshow necessita de JavaScript.

No final do dia após andarmos bastante novamente, estavámos cansados e o que nos restou foi parar em um restaurante para saciar a fome, comprar mais algumas lembranças e retornarmos a Glasgow, pois de Glasgow tinhamos que pegar outro trem com destino à Prestwick onde ficamos “hospedados” até o horário do nosso vôo de volta pra Irlanda. Lar doce lar. Então foi isso !

Por fim gostaria de dizer que pelo pouco que conhecemos dessas duas cidades Glasgow e Edimburgo ficou aquele gostinho de quero mais e com certeza em uma outra oportunidade vale a pena passar por estas cidades. Obrigado a todos que acompanham o blog e até a próxima.


Escócia – Part III – Edimburgo

Bom dia pessoal, cá estou novamente para contar o restante da nossa aventura pela Escócia, que eu dividi em 4 partes, para que a leitura não se tornasse cansativa demais e também para que eu pudesse lembrar de todos os detalhes.  Se você ainda não leu a Part I e Part II pode fazer clicando nos links.

Após pegarmos o trem na estação Queen Street em Glasgow desembarcamos em Edimburgo por volta das 20h30 da noite e logo que se chega na cidade a primeira boa impressão é o castelo que fica no topo de um vulcão “adormecido”. A linha de trem passa bem embaixo então é só olhar para cima um pouco antes da estação final, e com certeza é uma vista deslumbrante.A caminhada até o hostel não demorou muito, por volta de 10 minutos, fomos direto pra lá uma vez que estávamos cansados e precisando de um banho, sem contar o frio e a chuvinha fina que incomodava. Ficamos no hostel Caledonian Backpackers, por volta de 15 libras por pessoa com café da manha incluído. É uma boa opção para quem quer economizar. Após uma merecida noite de sono, café da manhã tomado é hora de deixar o hostel e ir se aventurar em Edimburgo, acordamos cedo para podermos dar uma volta antes de nos juntarmos a ” Walking Free Tour” que acontece todo dia , acredito eu, e como o nome diz é FREE.

Logo após deixarmos o hostel fomos em direção ao castelo, fizemos algumas fotos em frente à igreja St. John Episcopal Church e seguimos em direção ao castelo, passamos por um típico cidadão escocês e continuamos nossa caminhada, e sempre boquiabertos com a grandiosidade e imponência do castelo. Segue algumas fotos para vocês terem uma idéia.

St John Episcopal Church

 

Castelo de Edimburgo

 

Edinburgh's Castle

Ok, talvez pelas fotos não seja tão bonito assim como eu falei, eu não sou um bom fotográfo, mas seguindo rumo ao topo do castelo, chegamos a Royal Mile, que é a rua que dá acesso ao castelo, que custa 15 libras por pessoas para entrar, nós como turistas ralé que somos só passamos em frente, como o nosso guia disse, os escoceses são muito criativos com nome de ruas, então Royal Mile tem esse nome porque é a distância entre o castelo e o parlamento – Uma milha real. Decidimos por entrar em um lugar que aparentava ser uma loja de souvenirs, mas que na verdade além disso era uma tecelagem, o caro e cobiçado Cashmere (Casimira é um termo genérico para alguns tecidos de lã, ou lã e poliéster, e que usam ligamento em sarja, possuindo trama fechada e sendo geralmente usados na confecção de ternos, saias, tailleurs etc., Fonte: wikipédia). Confiram as fotos à seguir:

Continuando pela Royal Mile, encontramos uma Whiskeria, imperdoável se não entrassemos nesse local no país do Whiskey.Garrafas de Black Label a 16 pounds. Eu que não sou conhecedor de whiskeys pouco posso falar sobre o assunto, mas levamos algumas mini-garrafas para não passar em branco é claro.

Black Label

 

Whiskeys!!

Seguindo pela Royal Mile, eis que nos deparamos com essa igreja belíssima, e é claro não podia faltar uma foto né:

O sol decidiu aparecer no final da tarde

Descendo mais um pouco pela Royal Mile, entrando em várias lojas, comparando preços, admirando as antigas construções, tudo é de encher os olhos e com certeza muito bonito e muita história, quase nos atrasamos para o Tour. Eis que fomos ao ponto de encontro dos turistas para seguir com o Tour, nosso guia foi o Troy, um australiano que veio visitar Edimburgo em 2009 e desde então se apaixonou pela cidade e adotou como seu novo lar.Havia o tour com um guia que fala espanhol, mas optamos pelo inglês, afinal esta é a razão de estarmos aqui, não é mesmo?

Bom pessoal, em um próximo post continuo e se possível acabo de contar toda a nossa aventura por Edimburgo e pela escócia, vou contar também o que Edimburgo tem a ver com Harry Potter e também a história do Bobby.Segue então mais algumas fotos, abraços e até a próxima.

Este slideshow necessita de JavaScript.